BARREIRA LINGUÍSTICA: MOMENTOS EMBARAÇOSOS EM VIAGEM


Nem vos passa pela cabeça a quantidade de momentos embaraçosos que tive em viagem. O mais comum é aquele em que tento com todas as minhas forças usar a linguagem corporal aka parecer uma macaca para mostrar às pessoas o que procuro/preciso. 

Muitas das vezes estou convicta que estão a entender-me perfeitamente para perceber que afinal estavam apenas a fazer sim com a cabeça e não entenderam nadinha. Tranquilo, de uma forma ou outra, agente arranja-se. 

Hoje partilho convosco 3 momentos embaraçosos que aconteceram-me em viagem. Daqueles que quando relembro dou uma suave belinha na testa e penso "A sério Marta?" :D 
Momento 1. Estava a fazer um interrail pela Europa juntamente com o meu primo Sam e a melhor amiga Ana. Saímos de Amesterdão para Praga e já chegamos quase de noite. Para variar (ironia) não tínhamos planeado onde ficar a dormir, apenas lemos as recomendações do Lonely Planet que alertavam para jamais aceitar ficar em casas de pessoas que abordam turistas na estação do comboio. Assim que chegamos à estação de comboios de Praga ficamos completamente desnorteados, porque para além de haver multidões de pessoas em todas as direcções, todas as indicações eram em checo, ou seja, nós não estavamos a conseguir sequer sair da estação, andavamos em círculos. 
Até que um senhor checo com um inglês péssimo abordou-nos, olhamos uns para os outros e aceitamos segui-lo. Eu sei, somos aquele trio que adora viver o perigo :D

Quando chegamos à casa nem podíamos acreditar: localizada no centro, limpinha a cheirar a lavado, toda renovada, com uma cama confortável para cada um, cozinha e até máquina de lavar roupa!! Isto tudo pela módica quantia de 12€ por noite, o que daria 4€ por noite a cada um. Para vos contextualizar, há mais de uma semana que andavamos alojados em hostels nos dormitórios com no mínimo dez pessoas e nunca pagavamos menos de 20€/noite cada um. 
Nem podiamos acreditar em tal milagre! Ainda bem que mandamos o conselho do Lonely Planet à fava hehe

Mas a história não acaba aqui. Estava a chover a potes e nós enclausurados em casa, na nossa primeira vez em Praga. Estavamos ansiosos por conhecer a tão famosa vida nocturna na cidade e não aguentavamos mais ficar fechados. Pegamos em nós e saimos de casa sem destino. Queriamos encontrar um bar da zona só que os letreiros estavam todos em checo e não entendiamos nada, até que o Sam disse "Malta entramos já neste? Estamos encharcados!". Porque não? 
Logo que chegamos fomos directos ao bar pedir 3 martinis e assim que nos voltamos com as nossas bebidas olhamos ao nosso redor e só vimos homens. Achamos meio estranho, caminhamos um pouco até que encontramos strippers no palco!!! A sério que viemos parar a um club de strip tease?! O que fazer? Já que lá estavamos arranjamos uma mesa, bebemos os nossos martinis enquanto vimos mulheres a dançar e a despir. Quando demos o último gole demos uma valente gargalhada e fomos embora. 


Momento 2. Eu e o Bruno perdemos a nossa mochila com passaportes, todo o dinheiro e cartões de crédito lá dentro na primeira semana no México, uma viagem que seria um total de quatro meses por toda a América Central. Sim, já tinhamos perdido tudo nos primeiros dias, mas que bem. O que fazer nestas situações? Ir à polícia, não é? Então, demorei meia hora a explicar tudo o que aconteceu com detalhes, o polícia ía escrevendo umas anotações no seu caderninho, a parecer que entendia tudo o que lhe dizia. Até que terminei e ele olhou para mim e disse "Como?" Fiquei tão frustrada que simplesmente fui embora. Está bem que o meu espanhol era uma porcaria nessa altura mas custava muito pedir para repetir quando não entendesse? 


Quanto à mochila perdida saibam o desfecho aqui, vale muitooo a pena a leitura. Quando pedem-me para contar uma história incrivel das minhas viagens é esta que vem logo à cabeça. 

Momento 3. Durante a minha estadia na India recusei sempre ir a agências de viagens comprar os meus bilhetes de comboio. Para além de serem o dobro do preço, gosto mais de dirigir-me às estações de comboio e interagir com as pessoas locais. 

Uma vez que era uma viagem longa e de noite pedi um bilhete com cama. A pessoa da bilheteira só ouviu-me e entregou-me um bilhete, por acaso achei meio estranho que tenha sido tão rápido normalmente tenho de pedir ajuda a alguém que fale inglês. O preço do bilhete também foi suspeito, era ridiculo, algo como 1.50€ por 14 horas, mas enfim, estavamos na India e tudo era barato. 
Assim que entrei no comboio vi logo um amontoado de pessoas, sentadas no chão e tudo. Procurei o número da minha cama em vão. Pus um grupo de indianos a ajudarem-me nesta missão até que percebi que tinha comprado um bilhete que só dá acesso à viagem no comboio!! Ou seja, deveria ter chegado bem mais cedo para garantir um assento. Eu a pensar que teria uma viagem descansada de 14 horas na minha caminha quando deparo-me nos piores dos cenários. 
Vá lá que um senhor ofereceu-me o seu lugar e desapareceu, ainda assim foi uma looooooonga noite.


Estas histórias valeram uma bela risada? :D Agora é a vossa vez, digam-me aí nos comentários uma  ou duas histórias caricatas durante uma viagem para eu também rir :) 

12 comments:

  1. Oi Marta... a história do strip tease fez me rir e muito, mas confesso que a do trem na Índia assustou-me: 14 horas naquelas condições?! Juro que me xingaria por mil anos. rsrsrs Perto das suas, minhas viagens são plácidas. Fora um furto na Ilha de Páscoa onde um sujeito entrou em meu quanto enquanto eu tomava banho e me furtou passaporte e outros pertences, nada tenho desta natureza a contar! Mesmo na Rússia ou no Japão onde a mimica se fez necessário, tudo transcorreu lindamente! ehehe

    ReplyDelete
    Replies
    1. Epa olha que saber que alguém entra no nosso espaço sem permissão para roubar é muito assustador, a nossa privacidade é completamente violada.
      Ahhh imagino com os fofos dos japoneses hehehe

      Delete
  2. Hahahaa! Adorei o post. As histórias de barreira linguistica sempre rendem boas risadas :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada Camila! Verdade verdadinha =D

      Delete
  3. Estes "lost in translation" fazem parte dos melhores momentos em viagem. Dão-lhe o gostinho especial que tornam as nossas jornadas memoráveis... :)))

    ReplyDelete
    Replies
    1. Tão verdade! Acho que é isto e as boleias hehe

      Delete
  4. Excelente post! ehehe de fato não ha nada melhor para recordar do que "episódios" desses :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Na altura são desastrosos mas depois valem uma bela risada hehe

      Delete
    2. Pois é, essas são para mim das maiores aventuras em viagem..o contacto com as outras pessoas, uma vez em macau, a dificludade de comunicação foi tanta que nos levaram para o hotel errado..

      Delete
  5. Grandes momentos Marta!!! :) Mas são estas coisas que fazem com que os nossos passeios se tornem interessantes e únicos. E fiquem tantas histórias para contar a amigos.

    ReplyDelete
  6. A história do strip tease é a melhor, haahahaha!!! O perrengue mesmo comigo foi em Paris, onde fui roubada assim que botei o pé na estação e passei HORAS na delegacia porque não tinha ninguém pra falar inglês comigo. E fora muitas outras coisas que aconteceram. Foi tudo tão desastroso que decidi voltar para casa no primeiro trem do dia seguinte. :'(

    ReplyDelete
  7. Nossa, quanta história! :-O Eu tive algo parecido no Peru. Acabei pegando uma infecção alimentar, ainda bem não tão forte, e quando olhei o vaso achei que tinha visto vermes... hahaha... e como explicar isso na farmacia? :-O No final deu tudo certo - Edson

    ReplyDelete

Grata por comentares, adoro saber o que passa pela tua mente.