DIÁRIO A BORDO | COINCIDÊNCIAS? ADEUS INDIA


Bangkok - Tailândia, 2 de Dezembro de 2011

Tanta coisa a acontecer todos os dias, porque a diferença cultural é abismal, então é uma história para contar aos mais pequenos (e aos maiores também) todos os dias. 
Algo que um israelita disse quando estávamos a jogar aos aspectos positivos e negativos da Índia e que concordei desde logo foram as coincidências que por aqui se passam. Uma tarde em Haridwar estava sentada relaxada a observar famílias indianas a tomarem banho no rio ganges (rio sagrado) e à minha frente passa um pai mais ou menos com a minha idade e a sua filhota de mãos dadas, fiquei a admirar tal beleza. Pouco depois a miúda veio ter comigo e ficamos ali a brincar uns 10 minutos. 
No dia seguinte, já na estação dos comboios, apercebo-me qual é o meu comboio quando ele começa a partir!!! Começo a correr que nem uma perdida, perco a primeira porta e a segunda também, à terceira disse para mim mesma é agora ou nunca! Atirei a mochila mais pesada, seguida da mochila mais leve e faltava eu mas não estava a conseguir projectar-me para a frente... de repente uma mão a ajudar-me, quando entrei no comboio e agradeci, olhei nos olhos e era nada mais nada menos que o pai da tal miúda!!!!! Epá tantas carruagens e biliões de pessoas logo calhar onde o pai da miúda estava...

Ao falar com outras pessoas que estão a viajar pela Índia, concordam com esta coisa das coincidências, umas até vão bem para o lado espiritual afirmando que não são bem coincidências mas mensagens a confirmar que estamos no bom caminho. Hare Krishna, hare! Outra coisa que também achei curioso estes dois meses: Tem cuidado com aquilo que desejas pois pode-se realizar. Vi-me deparada em situações que já tinha pensado nelas anteriormente e desejava que acontecessem mas que depois viria a perceber que não era boa ideia.

O facto é que conheci tanta gente, conheci uma nova cultura, conheci-me mais a mim própria e sinto que cresci espiritualmente, amadureci mas ainda não percebi bem as diferenças em mim. Ainda vai levar um tempo. Entretanto talvez já tenha data para voltar à Índia haha até parece ser mentira, ainda ontem estava a apanhar o avião de Calcutá para Bangkok e já estou a pensar quando voltarei. Dois meses não dá para nada, Índia é enorme e quero explorar mais, especialmente a zona de Kerala (Sul) e Kashmere, Manali, Parvati Valley (Norte). 

Todos os planos feitos um mês antes de abalar, quase nada se concretizou :P são as pessoas que conhecemos que nos encaminham e não os Lonely Planets.

7 comments:

  1. A vida tem coisas do arco da velha...e talvez sejam mesmo mensagens! Quem sabe? O que eu sei é que estes teus relatos andam mesmo a acordar o meu bichinho da curiosidade :)

    Jiji

    ReplyDelete
  2. Nssa, que sonho conhecer a Índia, seus costumes, comida e cultura. Amei descobrir seu blogue meio por acaso, já vi que irei adoroar mesmo.
    Beijos e uma excelente semana!
    DMulheresInstagramFanpage

    ReplyDelete
  3. Eu não acredito em coincidências mas, acredito, que as coisas acontecem por alguma razão! Talvez até sejam mensagens, tal como dizes! :)

    A Marca da Marta

    ReplyDelete
  4. Gosto tanto destas histórias! É mesmo engraçado teres encontrado o pai da miúda novamente. Fiquei curiosa, falaram durante a viagem de comboio? Queria saber mais sobre ele! Também quero muito voltar à Índia... Quando vamos? :D

    Eu confesso que gosto muito dos livros da Lonely Planet :P Mas sem dúvida que são apenas uma base, o resto logo se vê na altura... Por vezes encontramos alguém que nos fala de um local sobre o qual não tínhamos lido nada, e vamos a ver e o desvio valeu bem a pena! Mente aberta, sempre.

    Mundo Indefinido

    ReplyDelete
  5. Essas tuas histórias de encantar e essas tuas fotografias só me deixam ainda com mais vontade e ansiedade dessa viagem <3

    Beijo

    thebrunettetofu.blogspot.pt

    ReplyDelete
  6. Adorei ler este post! De todos os países do mundo, o que mais me cativa e fascina é a India. Tenho uma imensa vontade de lá ir!

    Beijinhos
    http://aestilografa.blogspot.pt/

    ReplyDelete
  7. O mundo, o destino, o que vemos, sentimos e até aquilo que não vemos, não percebemos e não precisamos de compreender, são algo fantástico. :)

    ReplyDelete

Grata por comentares, adoro saber o que passa pela tua mente.