COMEÇAR DO ZERO


Na segunda semana de Setembro acordei a pensar que a minha estadia em Lisboa tinha terminado. E no final do mesmo mês aluguei uma carrinha para levar toda a minha tralha para o Algarve. 
Assim, de repente, parece que fiz tudo à pressa e que viria a arrepender-me, mas esta é a minha forma de funcionar: não estou bem, mudo-me. 
Deves estar a questionar-te "Então mas oh Marta não eras tão apaixonada por Lisboa?" E sou :) Lisboa é das cidades mais encantadoras que tive o privilégio de conhecer e continuo com o meu amor platónico por ela, só que desde que cheguei à capital com as malas e bagagens já sabia que não passaria de uma experiência. 

Leram bem, eu nunca tive intensões de fazer vida em Lisboa nem tão pouco constituir família ou construir a minha carreira. E cada dia a viver em Lisboa tinha mais clareza nessa decisão. Para quem cresceu a ir descalço para a praia com os primos enquanto cantavam músicas parvas eu nem queria imaginar um dia ver os meus filhos naquela loucura, tamanha poluição, individualismo. Lisboa é demasiado grande para mim, para eu viver para sempre. 
Mas como experiência não poderia ter pedido melhor e estou imensamente grata por 3 anos magnificos de exploração intensa da cidade, das pessoas que passaram a amigas, das milhentas aprendizagens sobre mim e sobre o mundo. 
Depois de 5 anos a viajar sem parar a decisão mais acertada seria mudar-me para uma cidade que continuasse a alimentar a minha sede de curiosidade. E caraças que Lisboa fez isto como ninguém. Aquele apertozinho no peito quando passava a ponte para sair dela e o coração aos pulos de alegria cada vez que passava nessa mesma ponte para entrar nela. Os risos sozinha a caminhar pelo meu bairro por estar tão feliz de ali viver. Fui muito feliz em Lisboa, muito!

Mas chegou ao fim. Eu sabia que esse dia iria chegar, mas pensei que só daqui a um ou dois anos. Por vezes sentia-me muito sozinha e percebi que estava a preencher os meus dias e noites com coisas fantásticas para fazer, quando ainda tenho uma cura interior para continuar. Parei quando apercebi-me disso mas depois pensei o quão brutal seria terminar os últimos meses na minha terra, com os amigos de infância, com a pouca família que me restou e que mais do que nunca precisa de mim.

E depois de quase um ano inteiro sem viajar para fora do país, finalmente começo a ter aquele bichinho para sair, explorar, conhecer uma nova cultura e emergir nela o mais profundo possível. 
Sim, as mudanças custam para caraças, mas por vezes temos de arranjar tomates para dizer o último adeus e abrir o coração para o recomeço. E seguir a nossa intuição. Sempre. 

Obrigada por ainda estarem desse lado, não fazem ideia o quanto fazem-me feliz através dos vossos comentários, emails ou interacção na redes sociais. Estamos junt@s! 

7 comments:

  1. Adoro esse teu desprendimento girl. Caramba, cada um de nós tem uma vida tão sua e a responsabilidade de a tornar especial, à sua maneira. Nada é certo nem errado na vida de ninguém, desde que estejamos confortáveis com as nossas escolhas e que elas não prejudiquem os outros. Muda-te todas as vezes que te apetecer... alimenta-te com aquilo que precisas e te faz sentido. Se essa é a tua essência, vive-a! :) Beijinho. P.S. Quando quiseres vamos ver o pôr do sol. ;)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Tens mesmo o dom da palavra minha querida amiga!
      Mas é sempre uma fase chata, de incertezas, de procura constante, de confusão, de tristeza até. Acho que é por isso que tantas pessoas preferem viver infelizes para sempre ao invés de passar por esta fase. A parte boa é que tenho q certeza que algo fantástico está por acontecer =) basta acreditarmos e termos paciência.

      Vamos pois, quando precisares de mudar de ares podes vir visitar me quando te apetecer. Também podemos fotografar sítios abandonados e explorar cafés e sítios giros no nosso Algarve.

      Beijo grande e resto de um dia feliz!

      Delete
  2. Eu também já vivi em grandes cidades, até fora de Portugal, mas sabia que também seriam experiências e, umas bastante intensas, purificantes e que me transformaram para sempre. Realmente viajar é sem dúvida conhecer-nos a nós próprios, no entanto é preciso sempre saber crescer com esses pequeninos ensinamentos e quando temos de partir para outra aventura, sabemos-lo.
    Adoro a tua visão do mundo, és muito pura e amiga.
    No que puder sempre ajudar... é só apitar!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oh uau! Obrigada pelos elogios à minha pessoa, acho que no mundo egocentrista que vivemos hoje em dia considerar alguém puro é só dos melhores elogios :)))

      Transformam mesmo. Basta que saias da tua zona de conforto e já estás a aprender mil coisas.

      Delete
  3. Sempre a surpreender! Eu acho que até te surpreendes a ti própria heheheh
    Mal posso esperar pelos próximos capítulos ! Muahhh 😘😘😘

    ReplyDelete
    Replies
    1. Conheces-me bem Carlinha :D Dou por mim a pensar que raio ando a fazer à minha vida, olho à minha volta toda a gente a comprar casa e a ter filhos e eu a mudar de casa de 5 em 5 minutos :P Será que algum dia vou parar?

      O futuro é incerto por isso vivo o presente como se fosse o último dia.

      Delete

Grata por comentares, adoro saber o que passa pela tua mente.