O QUE DEVES SABER ANTES DE IR PARA MYANMAR


Ultimamente ando sumida tanto do blog como das redes sociais. Ao que parece, tenho andado com um género de crise existencial bloguista, já vos aconteceu? Se vos deixei aí a morrer de curiosidade sobre a minha última viagem peço imensa desculpa. Mas vocês sabem, quando não nos sentimos inspirados nem vale a pena forçar. 

Mas hoje estou aqui para vos falar de Myanmar, ou traduzindo para português, Birmânia. Não sou fã de traduzir nomes de cidades e países, daí falar em Myanmar. Birmânia veio de Burma, como os ingleses chamam este país. Ainda assim, quando nos referimos às pessoas de Myanmar em inglês (e português) não falamos em myanmarese mas sim burmese :) Só para confundir mais um bocadinho!

Não sei se é do vosso conhecimento, mas Myanmar reabriu as suas portas ao turismo outra vez há apenas cinco anos. Estão a ver as consequências, não é? Um país que ainda não foi afectado pelas modernices, que mantem a sua pureza e essência. 
Sendo um país tão recente para nós viajantes, é normal que existam bastantes dúvidas sobre o país: se é seguro, se vale a pena visitar, como lá chegar, etc. e por isso vi-me obrigada a contactar mais viajantes que já lá tiveram do que o normal. Podia ler guias de viagem, mas não é a mesma coisa. Quando viajo quero saber de experiências, de vivências, de relatos próprios e individuais. 

Se querem muito ir à Asia brevemente ponham Myanmar no top da lista. Sendo um destino de viagem relativamente recente há alguns pontos a ter em conta.


Reservar Hotel ou Hostel com antecedência
Eu sou daquelas viajantes que quando chega ao local novo procura por um hostel, para poder ver ao vivo se gosto do sítio, se me transmite uma boa vibe. Mas como em Myanmar ainda existem poucas opções para acomodação, o melhor é irem a sites como agoda ou booking e reservarem antes. Primeiro porque arriscam-se a ter de pernoitar num hostel caro e com poucas condições e depois porque fica mais barato se reservarem online. Esta dica é aplicavel especialmente em Yangoon, em Inle Lake e Bagan encontramos hostels à nossa medida sem reservar. 

Respeitar os costumes, religião e pessoas
Quando visitamos um país diferente nós é que nos temos de adaptar à nova cultura e não os locais  a nós. Como os birmanenses ainda não estão acostumados com turistas, a nossa forma de vestir ainda é um bocado complicada de entender. Refiro-me aos calções curtos, aos tops de alça fina e aos decotes a mostrar o peito. 
Nos templos são negadas entradas a pessoas que estejam a mostrar joelhos, peito e por vezes ombros. Portanto, levem um ou dois lenços na vossa mala sempre, pois nunca se sabe quando vão ser necessários. E quando tiverem a fazer a mala evitem aquelas peças mais pequeninas :) 

Não se acanhem, falem com os birmanenses
É um povo muito bem disposto, que tem uma enorme vontade de conhecer a nossa cultura. Conseguimos perceber que querem muito aprender inglês, pois são inteligentes e já perceberam que se souberem a língua conseguem trabalhar com turistas e, consequentemente, têm mais hipóteses no mundo do trabalho. É provável que eles venham ter convosco no meio da rua :) Não sejam tímidos e falem com eles pois não têm condições para viajar e é a sua forma de conhecer o Mundo. Por outro lado, estão a praticar o seu inglês. 


Ficar num mosteiro por uns dias
É proibido os birmanenses hospedarem desconhecidos em suas casas. Se forem ao Couch Surfing vão perceber que as pessoas que oferecem casa contam-se pelos dedos. Porém, se conseguirem uns connects para passarem uns dias num mosteiro, dormindo por lá e interagindo com os monges, será uma das experiências mais enriquecedoras que terão em Myanmar. Ok, poderei dar uma mãozinha, enviem-me um email e pode ser que arranje alguma coisinha :P

Tragam notas em condições perfeitas
Parece que cada vez mais conseguimos encontrar multibancos, especialmente nos locais mais turisticos mas se quiserem sair da zona turistica não irão encontrar nem um multibanco para contar a história. Por isso, o melhor é levarem notas com vocês para trocarem por kyats. Tanto Euros como Dolares Americanos serão bem aceites, porém vejam com atenção se cada nota está em excelente estado: sem carimbos, dolares antes de 1996 serão rejeitados, sem nódoas e sem um mini rasgão. Caso contrário, as casas de câmbio irão negar a venda dessas notas

O Visa pela Internet sai mais caro
Se a vossa viagem é exclusivamente para Myanmar não têm grande hipótese e terão de fazer o e-visa. Custa mais de 40€. Mas caso viajem em países vizinhos como Tailândia ou Camboja antes, não hesitem em fazê-lo numa embaixada. Custa apenas 20€ e demora uns cinco dias a estar pronto. Preparem-se para preencher uma resma de folhas sobre a vossa situação economica! Já agora, os portugueses com visto de turista podem ficar em Myanmar durante 28 dias. Caso queiram ficar mais dias serão 3 dolares por cada dia, pagos no aeroporto antes de voarem para fora do país. 

Como chegar a Myanmar
Sugiro que comprem passagens de avião para Banguecoque (paguei 650€ ida-volta de Lisboa) e daí apanhem outro voo para Mandalay ou Yangoon, pois é a forma mais barata. Podem, por exemplo, marcar o voo para chegar em Yangoon e sair em Mandalay, assim evitam andar para cima e para baixo. A AirAsia é a companhia aérea low cost que recomendo, já usei cerca de oito vezes e correu sempre bem.

Se estiverem a viajar de mochila e quiserem chegar e abalar de Myanmar por terra é possível. Embora Myanmar faça fronteira com vários países, neste momento apenas existem quatro fronteiras abertas com a Tailândia: Mae Sot - Myawaddy, a mais prática e que funciona melhor; Mae Sai - Tachileik; Phunaron - Htee Kee; Ranong/Kawthaung. 

Espero que estas dicas tenham sido de alguma forma úteis para uma viagem mais sossegada e tranquila a Myanmar. Entretanto, se tiverem outras dúvidas ou quiserem acrescentar algo, deixem nos comentários. 

Desejo-vos um excelente fim-de-semana e uma Feliz Páscoa! aka ótima desculpa para comer chocolates e gordices até rebentar

5 comments:

  1. Tenho muita curiosidade em relação a esse país! Espero conseguir fazer um visita enquanto ainda não tem um número ridículo de viajantes por lá.

    ReplyDelete
  2. Claro que fiquei cheia de vontade de visitar e se só começou a ter turismo recentemente é por certo um diamante em bruto! As dicas são brutais, Marta :) Há coisas que nos escapam completamente, de que só nos apercebemos ao chegar aos destinos (tipo a questão dos visas e afins) e são sempre os relatos e dicas dos blogs de viagem que nos safam de situações chatas!
    Estava a ver que não publicavas nada sobre as tuas aventuras! Mas percebo a falta de vontade e inspiração para escrever, acontece a todos :p

    ReplyDelete
    Replies
    1. Nem pego em travel guides, pesquiso por Blog Posts ^_^ Já sabia que estavas em pulgas para saber mais desta ultima viagem, tens espirito viajante, não há nada a fazer :D

      Delete
  3. Tive que ir lá para renovar o meu visa, e apaixonei-me perdidamente por Myanmar. Pelas pessoas, principalmente.
    Não tenho nada a acrescentar..a lista é optima! Também lá fui com a Airasia, mas pouco tempo depois um avião deles caiu, well..isso assusta-me agora :p estou a gostar do teu blog!! :)

    ReplyDelete

Grata por comentares, adoro saber o que passa pela tua mente.