#CHANRESPONDE: DEIXASTE DE VIAJAR?

Antes de mais aqui um pequeno disclaimer, esta questão não foi feita por nenhum de vocês, fui eu mesma que fiz a mim própria. E porquê? Porque quero voltar a escrever no blog por ser um dos meus hobbies preferidos, quero partilhar convosco o que sei, o que vivi, o que experienciei. Vamos apontar para todos os Domingos de manhã? Tudo a enviar boas energias e intensões maravilhosas para que eu deixe de estar pregada uma hora no instastories e, em vez disso, venha ao blog escrever um post :P 

Já agora, a rubrica #chanresponde continua viva, podem colocar as vossas dúvidas sobre viagens à vontade aqui nos comentários ou podem enviar um email para viveraviajarblog@gmail.com, respondo a tudo sem pudor e em anónimo, se preferirem. Podem ver outros #chanresponde aqui. 

"Deixaste de viajar?" - Ninguém me faz esta pergunta directamente porque já toda a gente sabe que as viagens estão-me no sangue, é o meu estilo de vida, é como sinto-me genuinamente feliz. Mas perguntam muito  "Onde e quando é o próximo destino?", ao que não tenho uma resposta. 
É realmente estranho que depois de dez anos a viajar não me apeteça apanhar um voo e mandar-me para uma aventura num país desconhecido. Já estamos em Junho e este ano ainda não saí de Portugal (!!!!!!) eu própria estou incrédula mas isto tem duas razões principais de estar a acontecer. 

1. Precisava de PARAR
É claro que viajar é brutal, desanuviar, conhecer outras culturas, explorar lugares encantadores, ganhar novas energias mas imagina-te a fazer isso full time? No inicio é tudo muito lindo mas, tal como em tudo na vida, quando fazemos muito uma coisa, essa coisa desgasta-se, perde o interesse, torna-se cansativo. Não quero soar ingrata, nada disso, mas viajar por viajar deixou de ter propósito. Estava deserta por ter o meu espaço, decora-lo à minha maneira com objectos que tenho trazido das viagens, convidar amigos para jantar na minha casa, abrir o (meu) frigorifico quando bem entendesse, fazer refeições saudáveis, etc.
Quando voltei a trabalhar com um horário fixo é que dei por mim com aquela felicidade extrema de quem está de folga e com um fim de semana cheio de possibilidades pela frente. Os meus fins de semana lá fora cá dentro passaram a ter um sabor tão delicioso pois passei a dar mais valor ao meu tempo livre. Antes acordava e tinha a liberdade de fazer o que quisesse, todos os dias da semana, o que é excelente mas passado um tempo é tão fácil que perdes o interesse. Pelo menos foi o que me aconteceu, tanto que quando o Bruno disse-me que queria estudar Psicologia em Lisboa fiquei radiante, porque estava mesmo a precisar de parar de viajar. 

2. Viver em Lisboa é viajar 
Para quem não sabe as minhas origens são algarvias, nasci e cresci entre Loulé e Quarteira. Tenho uma paixão avassaladora pelas minhas raízes e jamais esquecerei que fui educada num meio pequeno, com vida de praia, com amigos que ajudaram a formar a minha personalidade. Para o bem e para o mal hehe. 
Porém, e numa tentativa de ser o mais honesta convosco, voltar a viver no Algarve depois de ter vivido no Mundo era como vencer um torneio de ginástica 10 anos seguidos e, de repente, cair para o último de lugar. Estamos aqui, nesta vida, para evoluir e não para "descer degraus". 
Por isso a ideia de Lisboa foi assim como um milagre do Universo e tenho muito que agradecer ao Bruno por ter-me trazido. 
No primeiro mês a viver em Lisboa estava nos céus e, quase 3 anos depois, continuo a sentir-me assim. Se ao príncipio estava receosa porque temos aquela ideia de Lisboa ser demasiado grande, poluída, stressante, infeliz, cinzenta, pessoas antipáticas, hoje em dia se me dessem a escolher viver num lugar qualquer no Mundo eu não hesitaria e responderia Lisboa. 
Aos poucos fui percebendo que a maioria das pessoas que vivem aqui têm bom coração, sempre foram simpáticas comigo, tenho feito bons amigos, sempre ajudaram e hoje em dia continuo a ver cenas como uma senhora aleatória vai a passar na rua com um ramo de salsa na mão ao que outra senhora aleatória pergunta se poderia arranjar-lhe um pouco para dar um sabor extra ao almoço e, no meio de sorrisos, ela entrega-lhe metade do ramo. Isto acontece em Lisboa senhores, eu vi. 
Sim, é stressante se assim o escolheres, é poluída mesmo. A tua felicidade na capital depende também do bairro onde moras e eu vim logo parar ao de Alvalade, que cada dia que passa estou mais apaixonada. Vocês sabem disso, todos os meus posts do projecto fotográfico A Beautiful Week têm sempre uma ou outra fotografia tirada no bairro que chamo de casa. 

Já estou a dispersar um bocado mas uma das maiores razões de viajar constantemente é que tenho uma enorme curiosidade, gosto de conhecer pessoas e lugares novos. A outra razão é que não consigo estar quieta num mesmo lugar durante muito tempo, preciso de alimentar este bicho carpinteiro que vive em mim e que está sempre em busca de novas experiências. 
E Lisboa oferece-me isto. Caminho bastante por Lisboa porque nunca se sabe. Gosto de escolher diferentes caminhos, ruas nunca pisadas por mim pois sei que vou encontrar um prédio histórico lindissimo, ou uma livraria bonita, ou uma galeria de arte, ou um cantinho tirado dum conto de fadas. Tenho esta sensação de estar em constante exploração e a aventureira em mim está sempre a ser estimulada. 
Só para não falar nos lugares paradisiacos à volta de Lisboa, como Sintra, Serra da Arrábida, Ericeira, etc. etc. etc. 
Por outro lado, está sempre a acontecer alguma coisa, basta que saias à rua e a magia acontece. Tens concertos ao ar livre gratuitos, workshops de todos os temas e feitios, inúmeras festas festarolas e festivais, eventos disto e daquilo, you choose. Por vezes dou por mim a pensar que naquela semana ainda não parei um segundo, mas aí abrando porque tenho consciência da importância de passar tempo connosco próprios, de reflectir, de PARAR. 

Bem, não era suposto isto ficar assim tão gigante mas queria dar-vos uma palavrinha sobre este assunto. E já agora, e respondendo à pergunta directamente, não, não deixei de viajar. Simplesmente estou numa fase bem tranquila da minha vida em que não estou a fazer grandes planos, estou a deixar-me levar. Mas o mais provável é que faça uma ou outra viagem ainda este ano :D 

Obrigada por continuarem desse lado, temos um compromisso agora. Vemo-nos no próximo Domingo? 

9 comments:

  1. Espero que voltes ao blog e à escrita :)
    Para o chanresponde gostava de saber se tens recomendações de países para quem quer viajar sozinho pela primeira vez (com pouca experiência em viagens) :)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada pelo comentário Inês :)
      Essa questão na realidade dava uma bela duma publicação, merciiii

      Delete
  2. Eu também tinha essa imagem de Lisboa na minha cabeça, de que era poluída, que as pessoas eram antipáticas, que é stressante, uma confusão. E claro, às vezes as pessoas são antipáticas porque o dia não lhes corre bem ou porque estão stressadas (vamos ter em conta que eu ando bastante de metro e o serviço não é o melhor, as pessoas têm razões mais que suficientes para estarem enervadas), no entanto, desde que entrei na Universidade e comecei a ter de ir a Lisboa todos os dias já não consigo imaginar não ir a Lisboa sair com amigos.

    Nunca, NUNCA, não tens nada para fazer, há sempre alguma coisa a acontecer e em menos de meia hora chegas ao outro lado da cidade, muitas vezes nem precisas de ir tão longe.

    Nunca fui ao estrangeiro, mas realmente Lisboa parece um país diferente, quando vou à baixa tenho a impressão que ouço falar mais línguas estrangeiras do que português. Vais ao Martim Moniz e já parece que estás numa espécie de "Ásia unida" misturada com Portugal. Tudo chega a um ponto em que até já falam comigo em Inglês quando vou a sítios mais turísticos porque, ao que parece, tenho "cara de estrangeira".

    De qualquer forma é engraçado, tu estás a fazer uma pausa nas viagens e eu vou viajar pela primeira vez este ano XD

    A Preguiça É Um Hobby

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá Beatriz, sim Lisboa pode ser uma mancha cinzenta mas isso depende muito do estilo de vida que tens dentro da cidade, eu escolhi viver uma vida calma e sem stress aqui e estou a conseguir. Claro que por vezes o atraso nos transportes irrita mas nada significativo :P

      a baixa de Lisboa foi vendida aos estangeiros e se tenho pena de quem vive por lá também tenho pena daquelas pessoas como eu que gosta de viajar nas cidades e conhecer ou interagir com as pessoas locais porque elas mal existem :( ~
      Felizmente Lisboa não é só a baixa e, claro, este é o meu ponto de vista enquanto moradora em Lisboa há quase 3 anos, deve ser bem diferente de quem se mudou nos anos 90, por exemplo.

      Epa que boas noticias, para onde vais? Cuidado para não ganhares o bichinho das viagens hehehe

      Delete
    2. Vou para a Alemanha em Erasmus ^^

      Delete
  3. Em primeiro lugar... adoro mesmo esta tua foto. Imagino o que estavas a fazer, com esse sorriso a aolhar para baixo.
    Gostei também bastante de ler este texto/desabafo!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada Kate, também adoro esta foto! Estava a brincar com a minha sobrinha canina, a Aura hehe Estavamos a divertir à brava!

      Delete
  4. Para mim, Lisboa nunca foi sinónimo de uma cidade infeliz, cinzenta, com pessoas antipáticas. É engraçado como essa imagem passou... Lisboa sempre foi a minha casa, cresci aqui, e sempre a vi com uma cidade cheia de cor, luz, felicidade, sorrisos por todos os lados e pessoas boas, muito boas. E tem bairros para todos os gostos: tem bairros modernos, tem bairros que parecem aldeias, tem cantinhos absolutamente encantadores e guarda uma surpresa em cada esquina. Quanto mais viajo, mais fico com a certeza de que Lisboa é a minha cidade preferida, a mais bonita de todas. Já me perguntaram porque é que continuo a viajar, se acho isso ahah Claro que tem coisas menos positivas, mas isso é válido para todos os lugares do mundo. Todos.

    Portanto percebo perfeitamente essa tua vontade de ficar em Lisboa, de explorar esta cidade que sempre foi minha, e que agora também é tua. Viajar não tem de ser num país longínquo...

    Até ao próximo domingo (sua imitadora :P eheh)

    ReplyDelete
  5. Acredita que te percebo muito bem, Marta, mesmo nunca tendo sido uma viajante a full-time. Até mesmo quem por cá vive precisa de parar, embora de outras formas. :)
    Quanto a voltares a escrever mais frequentemente no blog, força! Tenho muitas saudades de ter ler mais regularmente, já te tinha dito. :D*
    Agora vou ter mais tempo livre e podíamos sair para fotografar e fazer brainstorming de ideias para posts. O que achas?

    Joan of July

    ReplyDelete

Grata por comentares, adoro saber o que passa pela tua mente.