DIÁRIO A BORDO | PRIMEIRA VEZ NA INDIA

Bom dia malta! Decidi abrir algumas páginas do meu Diário a Bordo na altura que viajei sozinha pela Ásia durante 7 meses. Estamos a falar de 2011/2012. Podem contar com um post na Segunda-Feira de manhã durante seis semanas. Vamos a isso?
_________________________________________________________________________________


Goa, 18 de Outubro de 2011

Depois de dois dias em viagens, 3 voos diferentes, muito calor, muito frio, uma grande confusão no aeroporto de Mumbai: num momento, na parte da security baggage tinha o meu Ipod, o meu passaporte e a mochila com tudo o resto em 3 sítios diferentes!!! E indianos à minha volta a falar comigo hindi com inglês misturado haha agora que me lembro dá-me vontade de rir mas sinceramente foram os 5 minutos mais angustiantes da minha vida. E se me roubassem o Ipod? Mas o passaporte é mais importante... será que vou chegar a Goa? Será que isto é normal? E o que é normal? Pfff já passou.
Mal cheguei ao mini aeroporto de Goa senti-me logo em casa. Aquela sensação de: "Epá já tive aqui!" foi o meu primeiro pensamento. Será que já vivi aqui noutra vida? Who knows. Verde por todo o lado, todos os tipos de árvores (já toquei numa árvore de papaia!!), as vacas sagradas por todo o lado, o movimento das motas, as indianas a passearem de saris coloridos, crianças a brincarem na rua com lama e relva, indianos a trabalharem na agricultura, um indiano a trabalhar e os outros 4 a observar/descansar, trance aqui e ali, barracas cheias de vida e cor com: lenços, malas, vestuário, pequenas bancas com fruta que nunca vi na vida mas que quero experimentar brevemente.

Mas surpresa das surpresas, rapidamente percebi que afinal Goa não é uma cidade mas um ESTADO! E-N-O-R-M-E e constituído especialmente por praias. Numa semana percorri 4 praias diferentes: Anjuna, Calangute, Baga, Arambol com a minha querida scotter com assento pele de leopardo azul :)

A Karen, 50 anos, indiana de Mumbai a viver em Goa à 5 anos acolheu-me em sua casa em Calangute como se fosse uma irmã mais nova. Com aquele sorrisão perguntou-me se queria tomar um duche. Olhei à minha volta, apaixonei-me pela casinha dela e com um sorriso de orelha a orelha disse "ssssiiiimmmm" foi o melhor duche do ano, acreditem!

Essa noite, primeirissima noite foi memorável. Só sei que cheguei a casa com um chapéu que não era meu, uns óculos de sol que não eram meus, uns cornos verdes com luzinhas (os meus eram vermelhos) e com a testa e nariz em carne viva e a deitar sangue (!!) Foi portanto uma noite daquelas "WELCOME TO INDIA" estão a ver né? A cerveja kingfisher bebe-se assim super fácil e o rum Old Monk também :))) e a temperatura estava super quente e não podia ir tomar banhoca ao mar porque existem nadadores salvadores a trabalhar à noite (!!!!) e não deixam ninguém entrar na água só molhar os pezinhos. No inicio fiquei frustrada mas depois de olhar à minha testa no dia seguinte compreendi realmente o porquê :D Pois uma noite a cantar karaoke com indianos/as a dançar aquelas musiquinhas tipo Akon e afins teve um fim muito apelativo, a culpa é do Michael (da Nigéria) porque foi ele que me falou duma tal praia sem vigilância. (e eu que não pusesse a culpa nos outros).

A minha testa e nariz em carne viva. Um bindi que nasceu em mim, não precisei de pintar.

Na boa, continuei a minha vidinha em Goa, decidi alugar uma mota e a partir dai foi só explorar, sentir e VIVER. Há quanto tempo não fazia estas 3 coisas ao mesmo tempo? Mas o melhor de Goa foi ter conhecido estes 4 indianos primos de Kerala (Sul da Índia) que estavam só a passar uns diazitos e bazavam no mesmo dia que eu. Desde que nos conhecemos pelo couchsurfing na praia de Arambol nunca mais nos largamos! Foi logo aquela empatia. Divertimo-nos a montes, os gajos eram mesmo engraçados, formavamos um grupo bastante interessante por sinal, estão a ver 4 indianos com uma gaja ocidental no meio? Não estás bem a ver a cara do dono da casa que eles estavam hospedados quando abrimos a porta no último dia e estava la euzinha hihihi Esta devassa, ai ai.

Admito que foi uma tortura dizer até um dia a estes bacanos mas é algo que tenho de trabalhar em mim: aproveitar cada segundo com estas pessoas que me fazem feliz por uns dias e depois saber cortar o laço. Óbvio que trocamos emails, facebooks e afins mas toda a gente sabe o que a casa gasta, a Marta não é boa a manter contacto... mas estou sempre aqui para o que der e vier. Visto assim, mais um desafio para esta viagem, é uma questão de tempo e de gerir sentimentos/barreiras.



Os primos de Kerala que me adoptaram. 

Ahhh esta tenho de contar. A primeira noite dos 4 primos indianos foi tão boa que fomos mandados parar pela policia, estávamos os 5 com os copos e aquela viagem de mota estava-me a saber pela vida, o vento a passar-me pela cara e os cabelos a esvoaçar. Precisavam de ver um dos policias com bigode estilo Charlot, super magrinho, com a espingarda maior que ele e com aquele jeito de queixo para cima a andar de um lado para o outro hehe eu estava a rir-me por dentro, tanto mas tanto. Mas eles estavam a falar hindi, claro que não percebi patavina, percebi que os guardas estavam com caras de suspeitos que raio uma branca toda jeitosa (heheheh) faz com 4 indianos mal cheirosos lol mas o momento auge foi quando encontraram o saquinho de erva no bolso num dos indianos e automaticamente os guardas: "Meme, do you know these pleople?" "Yeh they're my friends!!" "So what's the name of this one?" Entrei em choque. Primeiro dia com eles como saberia os nomes de cor e salteado? Mas depois de 10 segundos de profunda introspecção sorri e disse "Francis" Era o único dos nomes que sabia de cor HAHAHAHA opá opá foi por pouco. Pagaram 1000 rupias e safaram-se, mas em Kerala eram presos durante um mês! Goa é a tal base.

Estou a resumir muiiiiiiiiiiiiiiiiito Goa, passei por tanto em tão pouco tempo que às vezes penso que 2 meses aqui vão voar plimmmmm. E toda a informação que me passam? Melhores locais da Índia, cultura indiana, as religiões, especialmente o hinduísmo. O meu mini cérebro de Doris não aguenta.






8 comments:

  1. Gostamos muito :D...Acho que vamos gostar de saber mais sobre esta tudo viagem ^^

    Beijinhos e boa semana
    _________________________
    All The way is an adventure
    Jess & Rose Blog | Instagram | Youtube

    ReplyDelete
  2. Tu és do outro mundo; super hiper mega corajosa! Ir para a Ásia sózinha durante 7 meses???? Adorava ter 1/3 dessa tua coragem p ir nem que fosse uma semana. :)
    Antes de ler o teu post todo fiz scroll down p ver primeiro as fotos e quando vi as manchas na tua cara pensei que fosse pintado e algum ritual na India... Só depois li!!! LOOOOOOOOOOOL Ó melher! Só tu! :)
    Beijinho

    ReplyDelete
  3. Ah, Goa... Antes também pensava que era uma cidade, mas quando estava a preparar a minha viagem para lá é que soube que era um estado! Dos mais pequenos da Índia, mas um estado na mesma. Foi a minha primeira viagem nesse país (e até agora a única, infelizmente), mas digo-te já que me marcou imenso. Adorei cada bocadinho, as pessoas, a comida, a paisagem. Até as vacas a passearem por todos os lados, incluindo ao meu lado na praia. Ler este teu texto trouxe-me muito boas recordações! Espero regressar um dia, a Índia é incrível! Já me disseram que é daqueles países que ou amas ou odeias... E eu amei, desde o primeiro segundo. Quando aterrei em Bombaim e tive de mudar de terminal para ir para Goa, entrando no trânsito normal (e caótico) da cidade, também me senti em casa.

    Mundo Indefinido

    ReplyDelete
  4. Adorava conhecer, também acho uma meha coragem ir sozinha.

    ReplyDelete
  5. Marta, que loucura esta estadia em Goa! Quero muito ir à Índia, mas quero ter tempo para ir com calma, portanto não será para já (quiçá 2018, veremos). Já devo ter dito, mas de facto teres-te mandado para a Índia sozinha durante esses meses todos é qualquer coisa de impressionante. Eu imagino-me a conseguir fazer isso na América do Sul, por exemplo - mas Índia é demasiado! Língua diferente, costumes radicalmente diferentes e uma pobreza ainda maior. Admito: Índia, acho que só iria acompanhada. Por isso é que gosto de te ler Marta, sabes bem que não sou nem de perto mochileira ao teu nível (tu és doutorada nisto, sejamos sinceras) e inspiras-me a arriscar mais! :)

    Aonde (não) estou

    ReplyDelete
  6. Que vontade gigante de conhecer a Índia! Beijinho enorme <3

    thebrunettetofu.blogspot.pt

    ReplyDelete
  7. Tenho uma colega de trabalho que já visitou a India 2x e apesar do choque cultural, fala-me maravilhas. Ainda assim, a tua versão parece ter sido muito mais divertida haha. Que peripécias!

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ReplyDelete
  8. Ó pá, tão gira a tua descrição. :) Sente-se o teu entusiasmo e a loucura dessa viagem nas tuas palavras. :)

    ReplyDelete

Grata por comentares, adoro saber o que passa pela tua mente.