ACMA | 5 FORMAS DE LIDAR COM A SAUDADE (EM VIAGEM)


A primeira vez que viajei mais tempo foi no InterRail de 21 dias há quase dez anos. Como fui com a minha melhor amiga e o primo, não senti saudades das minhas pessoas, tive mais saudades da nossa comida portuguesa, a melhor do Mundo :D Era a primeira viagem à séria da minha vida, ficando apenas 3 dias em cada cidade. Nesta azafama toda não restava muito tempo para sequer pensar nos amigos e familiares que ficaram em Portugal. 

Em 2008, quando parti para os EUA para morar um ano inteiro a história foi outra. Nos primeiros meses estava encantada com tudo aquilo, pela primeira vez saíra da casa dos meus pais e estava agora a morar do outro lado do oceano, a trabalhar na minha área com miúdos desafiantes e estava a aprender inglês como gente grande. Só que no oitavo mês tudo descarrilou. A saudade bateu tão forte que sentia flechas a perfurarem-me o coração. Deitava-me a pensar no Algarve, sonhava com o Algarve e acordava com o Algarve. Já nem estava a aproveitar a minha estadia em terras do Tio Sam. Até que, subitamente, acordei para a vida e pensei que teria de ganhar forças e aproveitar cada momento pois estava a ter a oportunidade da minha vida e em breve estaria junto dos meus. 

Depois destas duas situações não parei mais de viajar. Cada viagem era uma descoberta e só queria mais e mais. E aos poucos fui interiorizando técnicas para conseguir manter as saudades de lado. Vamos a elas! 

1. Comunicar através do Skype
Esta é uma dica óbvia mas que por vezes nos esquecemos. Hoje em dia podemos conversar com qualquer pessoa em qualquer lugar do Mundo, desde que haja internet com velocidade mediana. O Skype permite que fales em tempo real com outras pessoas e que tenhas acesso à sua imagem, o que te fará sentir uma certa proximidade com a pessoa. 
Tens de perceber quais são os teus limites com o uso do Skype, porque se estás a viajar deverias aproveitar ao máximo e estar o dia inteiro no Skype não é opção :) Por exemplo, eu falo uma vez por semana com a minha família durante uma a duas horas no Skype. Com os amigos é quando calha, se acontecer estarmos online ao mesmo tempo e na próxima meia hora só iria relaxar de qualquer maneira fazemos um skype date. Depois há aqueles amigos que não aguentam e ficam ainda com mais saudades depois de uma skypada, então ficamos meses sem falar :P

2. Manter a cabeça ocupada
Esta não é difícil, aliás, é mais difícil aguentar as saudades dos que ficam do que os que estão em viagem. Quando viajamos passamos os dias a descobrir um mundo novo, a experimentar diferentes degustações, a fazer amizades com os locais, a tirar fotografias. Quando chegamos ao hotel estamos esgotados e só queremos é relaxar um bocado. Durante o dia é possível nos lembrarmos de X pessoa, porque ela gostaria de visitar aquele sítio ou ficaria deslumbrada com os tecidos daquele mercado, mas não é bem um sentimento de saudade, é mais um sentimento de "quem me dera que estivesses aqui a partilhar este momento comigo." 
Se, por acaso, ficares com imensas saudades de casa, já sabes o que tens a fazer: primeiro aceita que faltam 2 semanas para voltares e estás a viver momentos que não se vão voltar a repetir e segundo faz uma lista de locais a visitar ou actividades para fazeres, se estiveres acompanhado/a é uma grande ajuda. 


3. Escrever
É para isso que servem os tais cadernos com capas catitas a dizer "Viajar sem limites" ou "Not all those who wander are lost" que levamos para as nossas viagens. Escrever sobre sentimentos faz-nos sentir mais leves pois estamos a deitar tudo o que sentimos cá para fora. Escrever faz-nos reflectir sobre a nossa vida e por vezes descobrimos coisas fantásticas! 
Sabe tão bem estarmos numa cama de rede, a beber uma limonada ou chá enquanto escrevemos sobre o que estamos a viver, a falta que fazem determinadas pessoas, uma lista do que fazer assim que chegarmos a casa. E depois, meses mais tarde, é tão giro encontramos esse mesmo caderno com capa catita e lermos algumas folhas, recordar momentos vividos que não voltarão. 

4. Levar dedicatórias e fotografias
Quando fui de mochila sozinha para a Ásia organizei um encontro de amigos na praia à noite para a derradeira despedida. Eles ofereceram-me um moleskine para escrever sobre as minhas aventuras e no final estavam folhas e folhas escritas por eles, desenhos e fotografias. Fiquei tão comovida, mas aí ainda não tinha a noção da verdadeira importância daquelas palavras tão carinhosas deixadas por todos eles, os meus amigos do peito. 
Por algumas vezes estava a escrever no moleskine sobre o quanto sentia saudades disto ou daquilo. Dava uma espreitadela às últimas páginas e era impossível não sorrir. De alguma forma aquelas folhas escritas davam-me alento e energia para continuar. 
Se fizerem uma viagem de alguns meses recomendo que façam esta tarefa de comprar o tal caderno catita do ponto 3 e pedir aos vossos amigos e familiares para deixarem algumas palavras e/ou fotos, objectos, etc. Com certeza vai vos ajudar nalguns momentos menos bons. 

5. Desliguem-se das redes sociais
Nos dias que correm estamos tão penetrados no mundo das redes sociais que parece estranho se deixarmos de ir ao facebook por um dia. A verdade é que enquanto estamos em casa até pode ser um meio fabuloso para sabermos o que se passa na vida dos nossos amigos, mas quando estamos em viagem o caso muda de figura. Vais encontrar fotografias do teu grupo de amigos em festas e festivais todos divertidos ou vais perder o aniversário daquela pessoa tão especial e vais por em causa a razão pela qual foste viajar. 
Posto isto, o contacto (controlado) por mensagem privada só para sabermos das highlights é benéfico mas andar a fazer scroll no feed de noticias três vezes por dia é pouco saudável. 

Espero que tenham gostado destas dicas :) Se tiverem outras sintam-se à vontade para deixar nos comentários. 
_____________________________________

Este foi mais um post inserido no Projecto ACMA - A Cultura Mora Aqui - que nasceu com o intuito de juntar bloggers/youtubers e publicar mensalmente sobre um tema cultural, seja sobre cinema, livros, viagens, fotografia, decoração, tecnologia... De fora ficam assuntos como beleza, maquilhagem ou moda, por acharmos que já existem demasiados posts sobre o assunto. Vamos enaltecer a Cultura na Blogosfera!
Se estiverem interessados/as em participar enviem e-mail à Ju para corsemfim@gmail.com (não há obrigatoriedade de postagem mensal)

Vejam também os outros blogs que participam este mês, com temas o tema sentimentos:

Convidados/as: 

45 comments:

  1. Adorava ter uma experiência como tu tiveste, mas tenho muito medo de deixar os meus e tenho a certeza que os meus pais não iriam deixar, ahah
    Quanto às dicas para lidar com a saudade concordo contigo, moro a 1h de distância do meu namorado e é óbvio que não dá para estarmos todos os dias juntos, mas ainda bem que existe o skype, que existe o telemóvel ahah
    Já sigo*
    Beijinhos,
    BabyLú
    http://www.luciaffmoreira.blogspot.pt

    ReplyDelete
    Replies
    1. Sabes Lúcia fizeste-me lembrar os meus 24 anos quando disse aos meus pais que iria viver um ano nos EUA e eles não queriam de nenhuma forma. Um dia sentei-os perto de mim e perguntei "Querem ver a minha felicidade?" Eles responderam obvio que sim, ao que eu disse "Então deixem-me ir porque se ficar vou ser infeliz mas se for, vou ser a pessoa mais feliz do Mundo". Desde aí tive de "educar" os meus pais e hoje em dia quando digo que vou para a China eles dizem apenas "Boa viagem, aproveita ao máximo" Acho que eles nunca entenderam esta forma de vida mas apoiam na mesma porque vêem que sou feliz assim.

      Por isso, quando decidires que é hora de sair do ninho e da zona de conforto, vai sem olhar para trás. Vais agradecer-te depois, prometo :)

      Delete
  2. Não deve ser nada fácil, especialmente durante períodos mais longos em que a data de regresso ainda é uma incógnita.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Para situações de imigração creio ser mais complicado, pelo menos os dois primeiros anos mas se estiveres a gostar passa e começas a viver razoavelmente bem com a ausência das tuas pessoas.

      Delete
  3. Olá Marta! Sou pessoa de poucas saudades por pessoas porque quando viajo vou sempre acompanhada por isso acabo por sentir mais saudades de locais do que propriamente de amigos/familiares. No entanto, admiro a tua coragem pois não me consigo imaginar longe por um grande período de tempo assim sozinha. Iria ser muito difícil para mim superar isso (mesmo com as dicas :p). Beijinhos.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Acompanhada é outra história! Mas costumo dizer que toda a gente deveria experimentar viajar uma vez na vida sozinha, é uma experiência muito enriquecedora, nem que seja para dar mais valor aos que temos ;)

      Delete
  4. Adorei estas dicas, definitivamente! Nunca viagem sem os meus pais mas quero bastante e vou seguir estas dicas quando o fizer ahah

    Beijinhos
    That Girl

    ReplyDelete
  5. Ohhhhhh Martinha, queria tanto ser como tu! Ainda tenho esperança de o ser, quando "for grande". A verdade é que tenho uma vontade imensa de viajar, conhecer o mundo. Mas na verdade nunca estive mais do que 10 dias longe de casa e, embora queira muito ter uma experiência lá fora como a tua na terra do Tio Sam, não sei se saberia lidar com a "homesick" toda que lhe está inerente. Se for para fora — como espero — vou levar esta tua partilha bem guardadinha junto às coisas mais importantes! Obrigada pelo teu testemunho <3

    ReplyDelete
    Replies
    1. Vai sim Sarita! Nada te impede de voltar para Portugal se não conseguires mesmo. Se não tentares jamais saberás! E lá fora cresces bastante enquanto Ser Humano, vale muito a pena a experiência.

      Delete
  6. Adorei as dicas, o oceano separa-me do "segundo pai", dou graças a deus ao skype. Mas é muito dificil. E já concretizaste um dos meus sonhos, fazer um interail! :D
    Adorei o blog e estou a seguir, muito sucesso *
    http://omundodajesse.blogspot.pt/

    ReplyDelete
    Replies
    1. Fazer o interail foi o inicio, quando decidi que iria viajar para sempre :) Acho que é uma forma de viajar muito interessante e se tens esse desejo deverias ir já este Verão Jéssica.
      Viva o Skype, vivaaaaa! :D

      Delete
  7. O máximo que estive longe foram cerca de 20 dias... por isso não deu para sentir "essas" saudades, pq como tu bem sabes nesse tempo ainda estamos assoberbados a absorver tudo. :)
    Já saudades da nossa comida tive logo ao fim dos primeiros dias.
    Entendes, não entendes? ;)

    ReplyDelete
    Replies
    1. É tãããoooo dificil combater a comida tuga! Os unicos países que não senti saudades da nossa comida foram: Grécia, Vietnam, Tailândia, Colombia e India.
      E em Melbourne havia uma padaria tuga yeyyy!!

      Delete
  8. Gostei imenso deste texto, tem dicas bastante úteis e importantes. Ainda não passei por este tipo de experiências, mas conhecendo-me como me conheço, sei que quando passar vai ser complicado de lidar.

    Beijinhos,
    http://inesmartinsxx.blogspot.pt

    ReplyDelete
    Replies
    1. A não ser que sejas uma pessoa que não se apague muito às pessoas, nunca é fácil de lidar. Mas há truques ^_^

      Delete
  9. Boas sugestões. Mas admito que por vezes encontro conforto nas redes sociais - é como se me sentisse mais próxima dos meus. Acho que é porque é algo que costumo fazer quando estou em casa e, das poucas vezes que o faço quando estou em viagem, quase me consigo abstrair e sentir que estou em casa em frente ao meu computador. Nunca vivi lá fora mas tenho a certeza que me despedaçava! Apesar de adorar o mundo e ter um grande desejo de experimentar viver em várias cidades, a necessidade que tenho de ter família perto é muita! E não sei se conseguiria suportar a distância, acho que me deixaria mesmo mal. Uma coisa é em viagem, estamos sempre entretidos, se nos fartamos mudamos de cidade ou de planos, outra é viver - trabalhar, tentar ter um quotidiano. Para isso é preciso ser-se forte!
    Quanto à comida, quando passo algum tempo fora (e não precisa de ser imenso, basta tipo mais de 3 semanas) começa-me sempre a dar uma vontade esganada de comer sopa de nabiça ou caldo verde e pratos de bacalhau. É SEMPRE a mesma coisa, HAHA! xD

    Aonde (não) estou

    ReplyDelete
    Replies
    1. Precisamente, estas são as formas que encontrei mas certamente que não funcionará para todas as pessoas, tal como o skype não funciona para a minha amiga que fica ainda com mais saudades.
      Heee somos parecidas nesse aspecto, viajar uns meses é sempre giro mas viver "para sempre" noutro país não seria tarefa fácil. Por isso que considero os imigrantes do Mundo heróis, parece que têm uma força sobrenatural hehe
      Estou contigo no caldo verde, mas eu acrescentaria azeitonas, azeite e pastel de natal :P Quando comia peixe tinha ganas de bacalhau com natas e chegava a um ponto que qualquer bacalhau cozido já era fantástico ^_^

      Delete
  10. Boa tarde, viajar por uns dias é perfeito, conhecer novos locais e pessoas torna-nos mais ricos, viver fora do meu Algarve é que não conseguia, vivo junto ao mar e junto a ele vou viver, obrigados pela partilha das dicas.
    AG

    ReplyDelete
  11. As minhas viagens mais longas também começaram com o Interrail, e tive dois anos seguidos em que estive fora durante cerca de 30 dias. Como andava entretida de cidade em cidade, a explorar cada canto e recanto (e ia acompanhada) nem tive muito tempo para ter saudades. Porque os dias inteiros eram preenchidos com várias actividades, uma pessoa nem se lembra do resto :P

    Agora que estou no Canadá há mais de um mês, e ainda me faltam uns quantos até regressar (não é tanto como tu nos EUA, fico por aqui apenas 6 meses), e tenho uma rotina - os dias de semana são para trabalhar, não vim (apenas) para passear - digo-te isto: é quase como se fosse igual. Sim, não estou todos os dias com pessoas com as quais gostaria de estar, fisicamente, ali ao lado. Mas falamos todos os dias e o tempo vai passando. Estar sozinha não é problema para mim. Agora se falarmos de comida, o caso muda de figura. Adoro a nossa gastronomia, e já dei por mim a procurar restaurantes portugueses aqui por Victoria ahah Encontrei, e até estou a pensar em ir lá durante o fim-de-semana ;)

    De qualquer das formas, acho que esta é uma questão que é mais fácil para uns do que para outros. Para mim, tem sido fácil. Mas sei que pode custar, e as tuas dicas são boas ;)

    Mundo Indefinido

    ReplyDelete
    Replies
    1. Estás a lidar muito bem com a saudades, mas é isso, cada pessoa lida à sua forma.
      O que vale é que há restaurantes e minimercados tugas espalhados pelo mundo inteiro =D

      Delete
  12. essa ideia de levar um moleskine é genial! é tipo um diário de viagem né...fiz varios desenhos, colei tickets e anotei preços e coisas engraçadas...vale muito a pena e rende várias risadas no futuro aheuaheuahe

    ReplyDelete
  13. que projeto bacana Marta, adorei conhecer o blog das outras meninas! Eu sei bem como você se sente, pois até hoje sinto saudades de lugares e muito da comida do Brasil! Às vezes perdemos coisas que nem imaginamos!

    ReplyDelete
  14. Muito legal a lista!
    Falar pelo Skype ajuda, principalmente nas chamadas em vídeo.
    E se desligar das redes socias é realmente uma boa estratégia, pois ficar vendo as coisas acontecendo com os amigos e a família enquanto estamos longe só aumenta a saudade.

    ReplyDelete
  15. Gostei tanto do post! Lido muito mal com saudades, mas a verdade é que na última viagem que fiz (duas semanas em Londres) lidei melhor com isso do que aquilo que estava à espera - é verdade que também foi uma viagem de escola e, por isso, estava com os meus amigos, mas em relação a saudades da família fui, realmente, surpreendida. Concordo plenamente com tudo o que dizes, principalmente com a ideia de fazer um diário de viagem - não só para escrever quando precisamos de deitar algo cá para fora e quando as saudades apertam mais, mas sim para nos relembrarmos sempre do que fizemos e de como foi!

    Um beijinho,
    Bia do Bookaholic.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada por partilhares a tua historia Beatriz. Ajuda bastante ter companhia e se essa companhia incluir alguém da família, um amigos ou colegas ainda melhor.

      Delete
  16. Adorei as dicas! Viajar é muito bom, mas sempre deixamos um pouquinho do nosso coração "em casa". Pra mim a parte mais difícil é viajar sem meu cachorro que pra mim é como um filho.

    Beijo

    ReplyDelete
    Replies
    1. Como te entendo! Sinto tantas saudades do Jimmy, o cão dos meus pais, é como dizes, são familia.

      Delete
  17. Que legal o projeto! E adorei as dicas, a saudade sempre bate e às vezes é mesmo bem difícil lidar. </3

    ReplyDelete
  18. Sentir saudades dos nossos é inevitavel mesmo! O Skype ajuda bastante mesmo, a chamada de video faz com que nós possamos nos sentir mais proximos! A dica de levar fotograficas e o moleskine tb é otima, sempre bom ter essas recordaçoes por perto. E escrever!! Escrever me ajuda muito nessas horas tb. Otima lista :)

    ReplyDelete
  19. Oi, Marta, sou uma pessa horrível (ahaha)! Sempre me perguntam se sinto saudades de casa e eu fico até sem jeito de dizer que não. Talvez porque minhas viagens não passem de 15 dias e porque a Internet ajude na comunicação diária. Talvez porque a gente vai desapegando com o passar dos anos... Estou louca pra ter a experiência de ficar mais tempo pra saber como é! Abraços

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oh não te sintas mal, também sou assim meio desapegada. Aprendemos a lidar com a saudade a cada viagem, mas se ficar duas semanas sem o meu companheiro fico triste... faz me imensa falta!

      Delete
  20. Muito bom o seu texto, eu ainda não tive uma experiência dessas, mas como sou extremamente ligada à família, com certeza iria sofrer, então todas essas dicas seriam essenciais para o meu breve desligamento do círculo familiar até mesmo para que conseguisse aproveitar essa experiência.
    Acredito que seja transformador, mas não sei se eu teria coragem rsrs Fico pensando nos meus filhos se um dia eles terão coragem de atravessar o mundo e se eu vou ficar aqui ou vou atrás deles rs.
    Seu post me rendeu uma bela reflexão!
    Beijos.
    Paula Abud
    http://www.roteirando.com

    ReplyDelete
  21. Dicas muito bacanas, Marta. Logo que fui morar fora, o Skype foi um salvador de vidas, pra me comunicar com família e namorado. Mas hoje acho que acostumei mais, e ficou mais tranquilo conviver com a distancia! Beijos!

    ReplyDelete
  22. Eu nunca tive a experiência de estar mais de uns dias fora do meu 'lugar de conforto' em casa e na minha cidade, mas acredito que seja muito difícil. Estas dicas de quem já passou por isto só podem ajudar! Especialmente manter a cabeça ocupada - já se sabe que pensar nas saudades atrai mais :P

    ReplyDelete
  23. Fiz uma única grande viagem pra Disney e, como eram 21 dias e era na Disney, não senti saudades nenhumas hueiheiuehuie. Se eu fosse fazer um intercâmbio, tenho certeza que seria bem diferente. O pessoal costuma falar que os primeiros meses são super legais e que depois bate a saudades de casa, hehe. Acho que é uma troca e que sentir saudades é importante - e normal! - nesse processo, gostei das dicas que você deu para aliviar a saudades.

    Beijos, Vickawaii
    http://finding-neverland.zip.net

    ReplyDelete
  24. Vivo em Londres há dois anos e, por isso, lido com a saudade a toda a hora. Da comida, dos amigos e, especialmente, da minha família. Tenho uma tradição que vai ajudando a senti-los mais perto: envio-lhes postais de todas as viagens que vou fazendo pelo Reino Unido e pela Europa. Ajuda muito! :)

    Beijinhos!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Adorooo enviar e receber postais, é uma otima sugestão Joana =)

      Delete
  25. Nunca me canso de te ler. Adoro a tua leveza e descontração. Bjs

    ReplyDelete
  26. Gostei muito desta publicação Marta 😃 Eu não utilizo Skype de todo mas acho que se fosse viajar durante tanto tempo teria que me render. Acho que és muito corajosa por ires viajar durante tanto tempo para fora.

    ReplyDelete
  27. Olá Marta :) escrevi um comentário mas n sei se o submeti por isso cá vai outro. Queria dar te os parabéns pelo blog e pelo teu estilo de vida. Gostava de um dia ter a coragem de me lançar ao mundo sem medos nem hesitações.
    Queria a tua opinião, no final do mês vou ter com um amigo ao Vietname e terei companhia durante 2 semanas. No entanto, gostava de ficar 1 mês e explorar o resto do país ou países à volta. Como nunca estive no estrangeiro sozinha tenho medo da solidão/factor segurança, por isso, gostava de saber se estivesses no meu lugar como farias para arranjar companhia e poupar uns trocos durante a viagem. Obrigada 😊

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá =) O Vietname é maravilhoso, espero que tenhas um tempo para ir ao Norte na zona de Sa Pa.
      Arranjar companhia de viagem é facil, basta dormires em hostels, se ficares em dormitorios melhor. Quando as pessoas te vêm sozinha acabam por meter conversa contigo ou então acabas por falar com a malta do dormitorio ou na cozinha do hostel ou até quando estás a comer, há sempre espaço para dares a tua opinião =) uma boa questão para inicio de conversa é "hello, where are you from?"
      Para gastar menos dorme nos dormitorios dos hostels, cozinha o jantar, leva marmita para almoço e lanche, assim como agua. Faz couchsurfing ou anda à boleia, se quiseres custo zero =)

      Delete
  28. Muito obrigada pela tua resposta :) e pela dica de Sa Pa, já fui investigar e é lindíssimo!

    ReplyDelete

Grata por comentares, adoro saber o que passa pela tua mente.