DESCONECTAR PARA RECONECTAR


Sabem aquela manhã que acordam com a mente pesada e com a sensação que algo tem de mudar rapidamente? Olhas-te ao espelho e dizes BASTA
Isto não foi o que aconteceu comigo mas podia ter sido. 

Já sabia que se avizinhava um ano difícil. Na segunda parte de 2016 pairava uma nuvem cinzenta em cima de mim e a minha intuição dizia-me que nem valia a pena traçar objectivos para 2017 porque iria ser um ano de transição, de superação de limites e que teria de ser muito forte. 

É engraçado como tudo aconteceu de forma natural. 

Andei às voltas em cursos gratuitos para desempregados porque sabia que queria ser Nómada Digital. O que mais poderia ser? Uma pessoa que, mesmo estabelecida num lugar, viaja para outros países 4 meses por ano? Quatro senhores, quatro. Uma pessoa que passou 5 anos a viajar praticamente non stop? Como parar quando queres parar mas não consegues? 
O curso de Fotografia e Design Gráfico serviram para eu acordar para a vida, perceber que não quero estudar por agora e o que quero mesmo é trabalhar COM pessoas. Sou viciada na internet desde os tempos de mirc com modems barulhentos, lembram-se? E para além de passar horas a fio colada ao youtube, trabalhar em frente a um computador mesmo que seja numa praia paradisíaca da Tailândia, não é a Marta. Eu gosto mesmo é de estar com pessoas reais em frente a mim, solucionar problemas,  conversar sobre banalidades da vida, discutir assuntos e trocar sorrisos. 

Aliado à minha não-existente-vida-profissional, a vida pessoal estava cada vez pior. Duas grandes desilusões logo em Janeiro, para seguirem-se mais umas quantas nos próximos meses. Muitas discussões e muitas corridas ao WC para chorar em silêncio. Por mais bons amigos que tenha feito em Lisboa nestes dois anos a viver na capital, sentia a falta de falar com alguma amiga de infância do Algarve, mas elas estavam longe e não queria telefonar para não incomodar. Que idiota! Guardei tudo para mim durante muito tempo e ao escrever este texto já estou a derramar um rio de lágrimas. Não façam isto, nunca! A minha energia estava a bater no zero. Pela primeira vez na vida a minha auto-estima estava em baixo, deixei de gostar de mim, deixei de ser quem sou e só para agravar mais um bocadinho a situação afogava a minha dor em pacotes de doritos, oreo e gomas. Engordei a valer, nunca estive tão pesada na minha vida! Estão a ver a bola de neve, não é? Estou triste, como porcarias, deixo de gostar um bocadinho menos de mim e vamos repetir. A vontade de avançar nos meus projectos era praticamente nula, fazer exercício físico ficava só no baú das ideias e lá continuava a viver como se nada fosse. Refugiei-me nos livros e à pala disso estou pertíssimo de conseguir a proeza de 30 livros lidos! Uauuuuu. Há sempre o lado positivo de tudo :) 


Eu sabia que tinha de fazer alguma coisa mas parecia que todas as minhas decisões eram erradas. Até que chegou Julho e iria passar o mês a viajar! Ufa finalmente! O meu único objectivo de 2017 era visitar o campo de concentração de Auschwitz e já tinha a confirmação da amiga Cláudia que viria comigo, não me apetecia ir sozinha a um lugar tão macabro. 
Como sempre dou uma vistoria ao mapa e quando começo a perceber que Budapeste e Eslováquia ficam perto, decidi que afinal iria aproveitar e viajar um pouquinho mais, ou seja, de uma semana passou a um mês. Não me perguntem, quando planeio viagens isto acontece repetidamente e não tenho meios para me auto-controlar. 

Fui para a viagem de coração aberto, tinha um bom feeling com a minha companheira de viagem Sofia que iria ser brutal, só não sabia que iria ser perfeito! Estava com receio que me desse aquela vontade louca de escrever e na altura o meu portátil pifou, logo levei o meu caderno, no caso de me dar aquelas vontades súbitas de escrever o que me vai na alma. Por incrível que pareça não toquei no caderno. Eu só queria era viver cada momento, apreciar a vida, explorar novos povos e culturas, queria fotografar muiiiiito. E deixei-me levar. Ainda consegui a proeza de postar no Instagram duas vezes por dia só para mostrar que estava viva e que queria continuar a inspira-vos a viajar.

Voltei para Portugal com o coração a transbordar de ideias, com uma vontade imensa de viver o Verão de Lisboa e de mudar a minha condição. Agosto foi um mês delicioso, conheci imensas praias à volta de Lisboa, dei passeios incríveis, diverti-me à séria. 

Embora tivesse uma lista enorme de ideias para publicar no blog não me apetecia escrever, creio que ainda estava bloqueada e que queria aproveitar esse tempo ao ar livre, a conviver com as minhas pessoas. 


Em Setembro tomei uma decisão difícil. Logo de seguida, rumei para a Califórnia, mais uma vez a refugiar-me nas viagens. Era para ficar um mês e acabei por ficar dois meses. Como a minha família americana vive no meio da floresta sem internet, encontrei aqui o meu ponto de equilíbrio. Desconectar-me da internet era tudo o que precisava. Estava farta da falsidade que se tornaram as redes sociais e a blogosfera parecia que ia pelo mesmo caminho. Afinal foi só uma fase e agora continua boa de saúde e recomenda-se :D 

Fiquei duas semanas inteiramente offline e como é possível?! Soube mesmo bem e não estive louca por uma hora no instagram! Nessa altura foi também quando os incêndios estiveram pertinho de nós e pela primeira vez na vida, senti a morte perto de mim. Tivemos muita sorte porque o fogo viria a nosso caminho se, no dia anterior, um forte vento não soprasse para o outro lado. Serviu para estar imensamente grata por esta vida e dar valor a tudo o que tenho, como a minha vida tem sido feliz e todas as pessoas que amo e que me amam.

Estes dois meses foram um detox do caraças, era mesmo aquilo que estava a precisar. Sendo que o primeiro mês foi passado 24 sob 24 horas com a minha melhor amiga do coração a Ana. Já vos falei desta beldade por aqui. Só a presença dela faz-me sentir tranquila e feliz. Gosto mesmo muito desta miúda! 

Passar tanto tempo com a natureza só me fez reconectar comigo própria, voltar ao meu Eu, aquela Marta perdida do inicio do ano de repente tinha desaparecido. Sentia-me forte, capaz de mover montanhas. 

Para terminar o ano em grande, e pelo meu esforço em mudar a minha vida, decidi recompensar-me com a visita à casa da minha artista favorita Frida Kahlo e com a muito desejada viagem a Cuba. Foi das melhores decisões de sempre porque agora, em conjunto com a Índia, Cuba passou a ser o meu país preferido, mas isso fica para os futuros posts. Sim, porque voltei! Voltei! Voltei! Não sei ainda com que regularidade mas voltei. Estou a começar do zero a minha vida por isso é possível que o regresso seja lento hehe Sabe mesmo bem voltar à nossa casa, o lar digital. 

E vocês, o que andaram a fazer estes meses todos? Queria agradecer-vos do fundo do coração por ainda estarem desse lado. Senti tanto a vossa falta, especialmente dos comentários aqui no blog, onde discutimos pontos de vista e onde aprendo tanto com as vossas experiências.

Um Até Já e Viagens Felizes!
Um beijo no coração, 
Marta


25 comments:

  1. Querida Marta, adorei este texto. muito íntimo, profundamente verdadeiro. Tu tens uma óptima energia, fico muito contente que tenhas conseguido ultrapassar esta fase menos boa. Que venham muitas coisas boas em 2018. Mantém-te por perto....
    Beijo

    ReplyDelete
    Replies
    1. Muito, muito obrigada amiga! É como uma lufada de ar fresco, menos 100 quilos no coração. Vou estar perto sim, perto das pessoas que me fazem bem <3 beijo grande *

      Delete
  2. adorei :) inspiradora e de uma transparência e ligação aquilo que interessa raras. beijinhos e um óptimo 2018

    ReplyDelete
    Replies
    1. Yey! Apesar de não entrar em detalhes acho que dá para perceber o meu percurso, acima de tudo queria que vocês entendessem o porquê do meu sumiço e de certa forma que se identificassem com a minha história e perceberem que não passam de fases dificeis na nossa vida.

      Um Feliz Ano Novo!!
      Muitos beijinhos =)

      Delete
  3. Ó Marta, que bom ter-te de volta e à tua energia! Caramba, 2017 também me abalou. No blogue descrevi-o na minha última publicação como um ano agridoce. Também preciso de me encontrar e a viagem a Marrocos soube-me tão bem! E na verdade revejo-me no que escreves porque acho que desligar-nos de tudo e conhecer novos lugares é o que faz mais sentido quando andamos à procura de algum equilíbrio pessoal. Parece quase um contra senso que precisemos de nos desenraizar para nos encontrarmos connosco, mas é exatamente isso que sinto. Sê muito bem vinda. Beijinho grande!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Já foste a Marrocos e voltaste!! Estou tão fora das noticias :) Vais escrever sobre essa viagem no blog? Adorava saber como foi a tua experiencia.

      Sim, acompanhei o teu ano e foi mesmo uma montanha russa. Resta nos agarrar às coisas positivas e viajar muitoooooo hehe

      Beijinhos amiga

      Delete
    2. Planeio escrever sobre isso no blogue, claro! E partilhar fotos para ilustrar também. :)

      Delete
  4. Oh Marta. Fiquei com o coração apertado ao ler sobre os teus primeiros meses de 2017...caramba, mulher, os amigos existem para nos suportar quando é preciso! Não sou a melhor pessoa para falar sobre isso porque caio exactamente nos mesmos erros que tu, mas vendo de fora é mais fácil: tu és uma pessoa de pessoas, esse coração é de ouro :)

    Que 2018 venha cheio de viagens que te encham a alma, de detoxs sempre que forem necessários, de alegria e, espero, de muitos posts por aqui :D

    Um GRANDE abraço!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Joaninha obrigada pelas palavras de apoio! Eu nem sou assim. Quando tenho algo na vida que me está a stressar falo logo com os amigos, mas estava a sentir-me oprimida e não conseguia meter para fora o que sentia. E depois como sabemos que toda a gente tem vidas ocupadas não queria incomodar, mas tal como dizes, os amigos são para essas alturas! E agora, Marta racional, se algum amigo precisasse de mim a qualquer altura estaria sempre disponivel para o ouvir. Acho que os meus amigos fariam o mesmo :P

      Por incrivel que pareça para o ano vou viajar muito menos! Quer dizer, espero eu, porque não consigo controlar as ansias das viagens hehe
      Mas sim venham os detoxs e muita alegria!

      Muitos beijinhos coração, que tenhas um 2018 cheio de alegria, saude, amor, luz! Que sejas muito feliz na casa nova.

      Delete
    2. Um grande beijo <3 tens que vir cá conhecê-la! :D

      Delete
  5. Bem-vinda, Marta!! Por vezes a vida é mesmo isso... temos que parar e respirar fundo, alinhar-nos de novo com o mundo e connosco mesmas. Mulher forte, não quebra!! E a ti ninguém te parte!! :) Um grande beijinho!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Querida Marlene, é verdade nem sei donde vamos buscar esta força inquebravel =) PARAR é uma palavra muito importante que nos esquecemos no nosso dia a dia.
      Beijoooo e um Feliz Ano Novo surfista girl

      Delete
  6. É assim mesmo, Marta. O caminho faz-se caminhando.. siga!
    Beijo grande e um excelente ano novo, cheio de viagens e coisas boas.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada pela força Filipe! Para a frente é o caminho =)
      Feliz Ano Novo para ti e familia, com muita alegria e viagens!
      ~Beijinhos

      Delete
  7. Chicaaaa!!! Me dió mucho gusto tenerte por las calles de México!!!
    Lo mejor de lo mejor en este Nuevo Año que viene y recuerda que ... "Every end is a new beginning"

    ;) ;) ;)

    ReplyDelete
    Replies
    1. Minha querida amiga! Foi um prazer conhecer a tua cidade e olha que me surpreendeu bastante. vou escrever essa frase na agenda, tão mas tão verdadeira!

      Besitos desde Portugal!
      Nos vemos pronto!

      Delete
  8. Viajar é tudo de bom, por vezes uma simples ida a um novo lugar carrega as nossas baterias por uns bons tempos.
    Para mim há muito tempo que o lema é viver um dia de cada vez, e se as coisas acontecem de uma maneira e nos levam a algum lugar é porque algo vamos retirar dessa viagem :)
    Beijinhos

    Fofurices Triviais

    ReplyDelete
    Replies
    1. A vida só por si já é uma viagem do caraças! Náo precisamos de nos deslocar longe para viajar e por vezes nem precisamos de sair do mesmo lugar.
      Tens razão Bella, viver o presente, de uma forma positiva!
      Beijinhos e um Feliz Ano Novo!

      Delete
  9. Que saudades de te ler 😊👍😘

    ReplyDelete
    Replies
    1. E eu saudades da minha Soninha, vemo-nos em breve!
      Beijinhos e um Feliz Ano Novo, muahhhh

      Delete
  10. Hey Marta que bom que voltaste 😁 identifico-me muito com esse detox da internet. Também sinto que as redes sociais (principalmentr o IG) estão cheias de falsidades, vidas perfeitas, fotos bonitas e pratos apetitosos. E contra mim falo porque eu própria partilho esse tipo de fotografia. Sinto a necessidade de me distanciar à séria de todo esse mundo e passar mais tempo (cara a cara) com os meus. Estou desejosa pelos posts de Cuba (tu sabes)❤❤❤ um grande welcome back e um feliz ano novo. Continua com esse enorme sorriso para a vida porque ela responde sempre da mesma maneira com que a encaramos! Bjinho

    ReplyDelete
  11. Ainda bem que estás de volta ao blog e que tenhas um excelente 2018!
    Fiquei curiosa para ler sobre essa viagem a Cuba :)

    ReplyDelete
  12. Fico contente que tenhas voltado e com força e energia renovadas. Tens uma presença muito forte ao vivo e digitalmente falando também! Ainda bem que te encontraste a ti e que encontraste o caminho para dias melhores! Que 2018 te traga dias felizes! Beijinhos :)

    ReplyDelete
  13. Marta este foi dos posts que mais gostei teus. Adoro todas as tuas viagens, são óptimas para viajar sem sair do sítio e adoro que nos tragas sempre a visão menos turistica mas amei que abrisses o teu coração neste post. Fico feliz que te tenhas encontrado e cada vez concordo mais que precisamos mesmo de nos desligar de vez em quando para nos conectarmos connosco proprios. Um grande beijinho e agora toca a escrever :)

    beijo grande
    Vânia
    Lolly Taste

    ReplyDelete
  14. Martaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa <3 <3 <3
    como precisava tanto dessa "paragem"...

    ReplyDelete

Grata por comentares, adoro saber o que passa pela tua mente.